Publicado em: segunda-feira, 09/04/2012

Polícia Federal investiga suposta fraude de alunos de medicina da Unirio

Polícia Federal investiga suposta fraude de alunos de medicina da Unirio

A Unirio, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, acionou na última semana a Polícia Federal (PF) para realizar a investigação sobre o reitor Luiz Pedro San Gil Jutuca, a respeito da Escola de Medicina e Cirurgia (EMC), que deve comemorar amanhã 100 anos.

A apuração da instituição é a respeito do uso indevido de números de matrículas já canceladas no ano passado. De acordo com a Unirio, cinco estudantes usaram para se matricular os números de forma irregular. Os nomes destes alunos estão constando nas listas de presença e eles têm freqüentado as aulas regularmente, mesmo sem estar na relação de convocados no Enem, Exame Nacional do Ensino Medido, o que deveria ser a única forma de acesso à universidade. As suspeitas são de que ocorra na universidade um esquema de compra de vagas.

No final da semana, quinta feira (05), Jutuca enviou à PF um ofício solicitando que os alunos sejam indiciados. Os universitários foram convocados para prestar depoimento ainda hoje. Jutuca ainda informou que os alunos serão afastados.

Irregularidades

O jornal O Globo recebeu na semana passada uma denúncia. Uma das candidatas que havia sido classificada em 2.217º lugar na lista de espera do curso de Medicina estaria acompanhando as aulas do primeiro período. Apesar de o nome dela e de mais quatro alunos não estarem inscritos no Sistema Único de Seleção Unificada, o SiSu, os cinco universitários estão inscritos no Sistema de Informações para o Ensino.

Um relatório desenvolvido no dia 15 de março foi a pista de revelou a irregularidade, onde o documento indicava que as matrículas canceladas do ano passado caiam de 15 para dez. Além de ter sido instaurada uma sindicância pela reitoria, onde o resultado preliminar ter previsão para sair na próxima quarta feira (11), o Ministério da Educação também orientou que a diretoria da Unirio solicite a abertura do inquérito na Polícia Federal.