Publicado em: segunda-feira, 24/02/2014

Pobreza e rejeição: saiba um pouco mais sobre os desenvolvedores do aplicativo mais caro da história

Pobreza e rejeição: saiba um pouco mais sobre os desenvolvedores do aplicativo mais caro da históriaA venda do aplicativo WhatsApp pela estonteante cifra de US$ 16 bilhões ainda está dando o que falar. Um dos fundadores do app, Jan Koum, é imigrante ucraniano, chegou aos Estados Unidos com 16 anos e chegou a viver de tíquetes de refeição que o governo americano cedia para auxílio às pessoas mais carentes, o “foodstamp”. E a origem humilde foi lembrada na hora de entrar pra lista dos homens mais ricos da América.

Koum assinou os papéis da venda do WatsApp no escritório onde funcionava a previdência social, no qual encarava longas filas para pegar foodstamps e conseguir se alimentar na cidade de Mountain View, na Califórnia. A oficialização da venda foi acompanhada pelo cofundador do aplicativo, Brian Acton, e pelo primeiro investidor a acreditar no projeto do WhatApp, Jim Goetz, presidente do fundo de investimentos Sequoia.

A companhia foi fundada em 2009, e tem em Acton outra personagem de história marcante. Ele foi rejeitado pelo Facebook quando tentou integrar a equipe, mesmo sendo amigo de longa data de Mark Zuckerberg. Isso aconteceu poucos meses antes de juntar-se a Koum, e o fato chegou a ser lamentado no Twitter. Brian Acton considerava aquela uma grande oportunidade na vida, mas precisou conformar-se e seguir em frente.

Agora o homem fará muito mais do que trabalhar no desenvolvimento da marca, integrando o Conselho de Administração do Facebook. E tudo graças à venda de um aplicativo que se destacou pela simplicidade e eficiência na troca de mensagens instantâneas pela internet, que cativou 450 milhões de usuários.

Maior valor da história da tecnologia

O WhatsApp foi comprado em dia 20 de fevereiro de 2014 por US$ 16 bilhões (equivalente a cerca de R$ 38 bilhões). Ele possui um crescimento diário de usuários de 1 milhão de novos clientes, e agora figura na história das negociações da tecnologia como a venda mais alta. Os desenvolvedores faturaram US$ 3 bilhões em dinheiro, além de outros US$ 13 bilhões em ações do Facebook. O processo de compra superou em larga escala a aquisição pelo Facebook do Instagram, comprado em 2012 por US$ 1 bilhão.