Publicado em: sexta-feira, 23/09/2011

Plano deseja realizar diagnóstico precoce para casos de câncer

O Ministério da Saúde lançou na quinta-feira (22) o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis que tem como principal objetivo aumentar o percentual de cobertura de exames de mamografia para mulheres com idade entre 50 e 69 anos e também os exames preventivos para identificação do câncer de colo de útero entre as mulheres entre 25 e 64 anos.

O plano espera que no período de 2012 a 2020 as metas sejam cumpridas, principalmente o tratamento em 100% dos casos das lesões causadas pelo câncer de colo uterino. Na terça-feira (20), a presidente Dilma Rousseff destacou a importância de enfrentar as doenças crônicas não transmissíveis em seu discurso de abertura durante a conferência da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada em Nova York.

O câncer de mama e o de colo de útero estão na segunda e terceira posição dos casos mais comuns entre as mulheres brasileiras. Os dados do Ministério da Saúde indicam que o câncer de mama atinge 49 a cada 100 mil mulheres e o de colo de útero 18 a cada 100 mil. Estes dois tipos de tumores causam cerca de 16 mil mortes todos os anos.

O câncer de colo de útero é classificado como o único tipo de tumor que é possível prevenir em 100% dos casos. Este tipo de câncer se inicia com o aparecimento de lesões, que quando tratadas acabam não desenvolvendo a doença. Ele pode ser identificado através do exame preventivo, o Papanicolau, e deve ser feito de forma anual. Tanto as mamografias como o Papanicolau são exames disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).