Publicado em: quarta-feira, 05/02/2014

Piscar descansa o cérebro

Piscar traz descanso ao cérebroUm ser humano passa, em média, um terço da sua vida dormindo. Quando acordado, aproximadamente 10% de tudo o que acontece some efetivamente do cérebro simplesmente porque piscamos. É que ao piscar os olhos giram dentro das órbitas, ainda que não se perceba, e pelo menos uns 200 milissegundos de informação são obliteradas. Naturalmente se pisca em média de 15 a 20 vezes por minuto, ou seja, a cada 3 ou 4 segundos. Somando as piscadas seriam pelo menos 4 segundos de informação visual perdida a cada minuto.

Inicialmente suspeitava-se que piscar tantas vezes era uma ação necessária para a lubrificação natural da córnea, mas isso exige menos piscadas por minuto. Então, uma equipe japonesa notou que tendemos a piscar naturalmente em momentos que pausas na atenção são permitidas, como o final de uma frase no jornal, cortes de edição em vídeos e a pausa de um palestrante. Piscar seria, nesse caso, uma maneira de relaxar o cérebro da necessidade de atenção de se manter concentrado em uma tarefa específica.

Comprovação

A equipe convidou voluntários para testar a possibilidade, de dentro de um aparelho de ressonância magnética funcional eles assistiram trechos do seriado Mr. Bean prestando muita atenção para que pudessem responder a algumas questões depois. Enquanto assistiam, os pesquisadores mediam a ativação e desativação de duas regiões no córtex cerebral: uma relacionada à atenção e outra à introspecção, que tem maior atividade justamente quando não estamos envolvidos em funções que envolvam o mundo externo e que também é conhecida como rede padrão do cérebro.

Conforme o esperado, os voluntários tendiam a piscar nos mesmos momentos das apresentações: cortes naturais na história, justamente quando o esforço cognitivo para reter a informação visual é menor. Comprovou-se que, nos segundos após piscar, a ativação da rede atencional era menor enquanto a ativação da rede padrão aumentava, e depois voltava ao normal. Assim, piscar abre uma janela de descanso da atenção e também facilita a mudança de foco.

(Com informações da Folha)