Publicado em: quarta-feira, 23/07/2014

Piora estado de saúde de Ariano Suassuna

Piora estado de saúde de Ariano SuassunaContinua delicado o estado de saúde do escrito Ariano Suassuna, autor de obras como “O Santo e a Porca” e “O Auto da Compadecida”. O estado de saúde dele piorou nas últimas horas, conforme informações relatadas pelo boletim médico divulgado na noite de segunda feira. Ele está internado e sob acompanhamento no Real Hospital Português de Recife, na Unidade de Tratamento Intensivo, a UTI Neurológica. O boletim informava que a situação do escritor era ainda instável e que ele apresentava uma queda da pressão arterial, além de muito elevada a pressão intracraniana.

O escritor está internado em estado de coma, respirando apenas com a ajuda de aparelhos. Tudo aconteceu depois que, aos 87 anos, Ariano Suassuna sofreu um acidente vascular cerebral, um AVC, hemorrágico, na madrugada da última segunda feira. Ele foi submetido às pressas a uma cirurgia neurológica. O autor foi levado pela família para o hospital por volta das 20 horas do mesmo dia, apresentando um sangramento no cérebro. Foi um médico da família, que já acompanha a saúde do escritor a anos, que o atendeu no local.

A saúde do escritor é delicada, já que em agosto do ano passado ele sofreu um infarto agudo e foi, semanas mais tarde, internado no hospital mais uma vez apresentando um quadro de aneurisma cerebral. Ariano Vilar Suassuna nasceu em junho de 1927, em João Pessoa, capital da Paraíba. Foi somente no ano de 1942 que ele se mudou para Recife. Durante a juventude, se formou em direito e filosofia, publicando sua primeira peça teatral já aos 20 anos, “Uma Mulher Vestida de Sol”.

Anos mais tarde, entre 1952 e 1956, o escritor se dedicou à advocacia, mas nunca deixando de lado a atividade teatral. Foi neste período que divulgou: “O Castigo da Soberba” (1953), “O Rico Avarento” (1954) e “O Auto da Compadecida” (1955), esta última, uma peça que o projetou no cenário nacional. Em 1962, Sábato Magaldi considerou o texto de Suassuna nessa obra como o mais popular do moderno teatro do país.