Publicado em: quarta-feira, 03/12/2014

Phil Rudd, do AC/DC nega ter feito ameaça de morte

Phil Rudd, do AC/DC nega ter feito ameaça de morteO baterista da banda de rock AC/DC, Phil Rudd, disse que é inocente das acusações feitas contra ele, de que teria sido encontrado com drogas e feito ameaças de morte. O músico fez a declaração nesta terça-feira, dia 2. A imprensa da Nova Zelândia foi quem divulgou as informações ao mundo.

Aos 60 anos, Rudd, que está em liberdade provisória, depois de ter pago fiança, teve que comparecer diante do juiz, no tribunal do distrito de Tauranga. Ele acabou sendo detido no mês passado e pagou a fiança para ser solto. No tribunal ele compareceu acompanhado de um advogado.

Na Nova Zelândia, o crime de ameaça de morte pode ser punido com até sete anos de detenção. Num primeiro momento Rudd foi acusado de tentativa de homicídio, mas a tese foi deixada de lado, pois o procurados público do país percebeu não haviam provas suficientes, depois de um dia que a acusação foi feita.

Rudd continua em liberdade e uma nova audiência está marcada. Ele deverá voltar a se apresentar à justiça em fevereiro de 2015. O músico é australiano e vive em Tauranga, na região litorânea da Nova Zelândia. A cidade fica a cerca de 200 quilômetros de Auckland. Rudd passou a viver lá desde 1983, quando foi expulso do AC/DC.

No ano de 1994, Rudd foi aceito de volta ao grupo de heavy metal, mas continuou na Nova Zelândia, onde é dono de um restaurante. O último álbum do AC/DC, Rock for Burst, foi lançado nesta segunda-feira, dia primeiro. Faziam cinco anos que a banda não divulgava nada novo.