Publicado em: sexta-feira, 14/02/2014

Pessoas aguardam anos para terem consultas marcadas pelo SUS na Bahia

Consultas marcadas pelo SUS na Bahia demoram anos para acontecerA espera por atendimento tem sido cansativa para quem depende do Sistema Único de Saúde (SUS), e ao invés de solucionar problemas tem complicado a vida dos Baianos. Em Vitória da Conquista, município do estado da Bahia, um fato chamou atenção, o aposentado Flávio Borges de Brito, de 77 anos, que sofria com dores da bexiga e tinha incômodos na hora de urinar, solicitou uma consulta pelo SUS, no dia 06 de janeiro de 2010 e só agora um agente de saúde foi em sua casa entregar o papel em que constava a marcação da consulta. Segundo Flávio, cansado de esperar por atendimento, já gastou mais de R$2.000,00 em exames e medicamentos. Ainda conta que quando disse isso ao agente, ele quis levar o papel da consulta embora, porém informa não ter permitido para que pudesse guardar como documento.

Além desta consulta, ainda existem outras que demoraram em média 3 meses para serem realizadas, porém, o aposentado também não esperou ser chamado e pagou a parte consulta e remédios. Esse não é só um problema de Brito e sim da população que vive na cidade, uma outra moradora diz que já fazem 2 anos que aguarda por um exame e até então não obteve resposta.

Mediante a estes fatos, a Secretaria de Saúde se pronunciou por meio de nota que está investigando o caso de Brito e está buscando por melhorias.

EXCESSO DE PESSOAS CADASTRADAS

O problema de espera não fica só na parte de consultas e exames, Vitória da Conquista é uma cidade caracterizada por ser grande a oferta de serviços na área da saúde, atraindo assim muitas pessoas de outras região que também utilizam SUS e vão até a cidade para se consultar e receber tratamentos, a prefeitura informou ter mais de 700 mil pessoas que tem cadastro no Cartão Nacional da Saúde, contudo, a cidade e os hospitais não comportam todo esse número de pessoas, ocasionando em superlotações e a falta de leitos em hospitalares.

O Ministério da Saúde afirmou já estar cuidando do assunto e fazendo uma limpeza de dados, acreditando que assim o número excessivo de pessoas cadastradas diminua.