Publicado em: quinta-feira, 24/01/2013

Pesquisas apontam que narcolepsia em crianças europeias está ligado a uso da vacina contra o H1N1

Pesquisas apontam que narcolepsia em crianças europeias está ligado a uso da vacina contra o H1N1Pesquisadores estão investigando o aparecimento de cerca de 800 casos de crianças e adolescentes suecos e de outros países da Europa que tiveram narcolepsia, que é um distúrbio de sono que não tem cura. A doença teria surgido depois que eles foram imunizadas com a vacina Pandemrix, que a empresa farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) da Inglaterra no ano de 2009 para que combatesse a gripe H1N1, que foi conhecida como sendo a gripe suína.

Pessoas da Finlândia, Noruega, Irlanda e França também registraram ter esta doença. Uma pesquisa que em breve deve ser publicada em breve cita registros de ocorrências também no Reino Unido. Esta narcolepsia, ou doença de Gélineau, consiste em um problema neurológico que não é muito comum, que faz com que a pessoa tenha ataques de sono de maneira irresistível que ocorrem repentinamente e causam um cansaço de maneira extrema.

O órgão que regula os medicamentos na Europa apontou que o Pandemrix não deverá ser utilizado mais por pessoas que tenham idade menor do que 20 anos. Norman Begg, que é responsável na divisão de vacinas da GSK, apontou que a empresa está enfrentando a questão de maneira séria e ficou muito comprometida para que resultados fossem encontrados. Ele diz que não existem dados que possam ser suficientes ou evidências que apontem que exista uma relação entre o uso da vacina com os casos recentes de narcolepsia.

Porém, Emmanuel Mignot, um dos grandes especialistas sobre esta doença e que é tem financiamento da GSK para que investigue este drama mais a fundo, aponta para outro sentido. Mignot, que é especialista do sono pela Universidade norte-americana de Stanford diz não ter dúvidas de que foi o Pandemrix o causador da ocorrência de narcolepsia em crianças em alguns países.