Publicado em: sexta-feira, 14/12/2012

Pesquisadores descobrem antídoto para veneno de águas-vivas

Pesquisadores descobrem antídoto para veneno de águas-vivasPesquisadores da Universidade do Havaí fizeram a descoberta de que o veneno que provem da queimadura da água-viva-caixa-australiana, queconforme os cientistas, é um animal dos mais letais encontrados em todo o mundo, pode ter retardo no seu cuidado após a administração de um composto com zinco. Isto foi publicado em uma pesquisa no periódico “PLoS ONE” nesta terça-feira (12).

O veneno desses animais pode matar de maneira rápida caso tenham contato com a pele e atinjam o sistema sanguíneo. Em testes realizados com o sangue de humanos e em camundongos, pode ser verificado que este veneno, quando entrava em contato aos poros das paredes celulares, fez com que as células sanguíneas liberassem grandes quantidades de potássio, o que poderia causar parada cardíaca e levar até a morte.

Conforme Angel Yanagihara, autor desta pesquisa, o objetivo do estudo foi entender de que forma o veneno da água-viva-caixa poderia agir de maneira tão rápida. Ele diz que os pesquisadores fizeram descobertas de hemolisinas, que é uma forma de exotoxina que são produzida por bactérias, que estão presentes neste veneno da água-viva.

Estas substâncias são responsáveis por uma quantidade muito grande de reações em células. Angel diz que isto pode incluir uma liberação em massa, quase que de maneira instantânea, do potássio, que poderá causar um colapso cardiovascular agudo.

Os pesquisadores então foram tratar células que foram atingidas utilizando um composto de zinco que é conhecido por gluconato de zinco, que inibiu o processo que liberava o potássio. Eles viram que este composto fez com que ficasse mais devagar a formação dos poros em paredes celulares sanguíneas e aumentou a sobrevivência dos camundongos que realizaram o teste.

Este estudo afirma que com a administração veloz deste composto de zinco poderá ser um antídoto para que salve a vida de pessoas que foram vítimas de água-vivas.