Publicado em: terça-feira, 22/04/2014

Pesquisadores da Universidade de São Paulo produzem um aparelho capaz de identificar vírus da dengue em 20 minutos

Pesquisadores da Universidade de São Paulo produzem um aparelho capaz de identificar vírus da dengue em 20 minutosCom o aumento nos casos de dengue em todo o país, pesquisadores do instituto de física da USP de São Carlos, declaram que após muitos estudos eles produziram um protótipo de um aparelho que é capaz de realizar o exame para detecção da dengue em pessoas com os sintomas da doença, o resultado sai em apenas 20 minutos.

Essa descoberta pode ser uma esperança valiosa já que atualmente para que o doente saiba se está com dengue ou não é necessário que se realize a coleta de sangue em torno do sexto dia de infecção, essa espera pode significar uma linha tênue entre a vida e a morte de um indivíduo, já que em seus tipos mais graves a dengue pode matar.

De acordo com Francisco Guimarães que é o professor que liderou os estudos esse resultado rápido na detecção do vírus da dengue deve-se ao fato de o indivíduo infectado apresentar um aumento significativo na proteína NS1, que pode ser encontrada na gema do ovo, por esse fato o estudo também não foi de alto custo, já que para realização dos testes foram necessárias apenas utilização de ovos, sem a necessidade de realizar testes em animais.

O próximo passo da pesquisa agora prevê que nesse aparelho contenha sensores que possam identificar o tipo da dengue que o doente está infectado, com isso o tratamento pode ser feito de maneira mais eficaz para o enfermo, já que para cada tipo de vírus existe um tipo de tratamento diferente.

O aparelho funciona de um jeito similar aos aparelhos para medição de glicemia de diabéticos e deve ter seu custo fixado entre R$ 100 a R$ 200 reais e ainda precisa ser aprimorado e ter sua eficácia atestada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a intenção é que ele esteja pronto para ser disponibilizado em cerca de dois anos e que as unidades de saúde possuam ao menos um aparelho para realizar o exame em indivíduos com suspeita de estar infectados pela doença.