Publicado em: quarta-feira, 25/06/2014

Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas revela queda na arrecadação de carga tributária federal

Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas revela queda na arrecadação de carga tributária federalAtravés de análises realizadas pela Fundação Getúlio Vargas em relação a arrecadação de tributos federais no país, ficou constatada que houve uma queda no que se refere a arrecadação de tributos federais, de acordo com esses dados, o fator de haver queda resulta na dificuldade de equilibrar as contas do governo.

Como trata-se de uma pesquisa com base em números e dados preliminares, ainda não é possível avaliar a proporção bem como definir as motivações que levaram a essa queda, os dados oficiais devem ter sua divulgação realizada nesta quarta-feira.

As aparentes evidências concluem que a sinalização de piora nos números da receita, que já vem ocorrendo há meses por conta de a economia se encontrar estagnada, a tarifa para expandir estes ano tem sido constantemente reavaliada para baixo por especialistas no assunto.

Segundo o texto apresentado no estudo, que é assinado pelo economista José Roberto Afonso e também por Bernardo Fajardo, levando em consideração parâmetros fiscais, a expectativa de cumprir a meta do superávit primário piora, superávit primário compreende a reserva de fundos que o governo realiza para que haja o abatimento da dívida pública.

Essas declarações tem como base os dados que são divulgados pelo Senado Federal, no sistema Siga Bem, esse sistema possibilita que a execução de orçamentos da União seja acompanhada, os dados apresentados apresentam uma piora em relação ao mês de maio do ano de 2013, no que diz respeito a arrecadação de tributos federais sobre o lucro de empresas e também em relação ao consumo.

Estes resultados podem ser compreendidos, já que no mês de maio de 2013, aconteceu a obtenção de R$ 3 bilhões de Imposto de Renda de pessoas Jurídicas e contribuições sociais sobre o lucro líquido e também a arrecadação de R$ 1 bilhão para contribuição para financiar a Seguridade Social e também contribuição para financiar o programa de Integração Social.

De acordo com a Receita Federal esses valores referentes ao ano passado foram gerados pela comercialização de participação societária que não foi divulgada, isto em relação ao primeiro valor arrecadado, já com base no segundo valor, este resultou de um depósito bancário de um valor que foi requerido na Justiça por uma empresa.