Publicado em: sexta-feira, 04/04/2014

Chamado de ‘hormônio do amor’ faz as pessoas mentirem, diz estudo

Chamado de ‘hormônio do amor’ faz as pessoas mentirem, diz estudoUma pesquisa feita em Israel, revelou que membros de um grupo que respira o hormônio do amor, tem tendência a mentir. Esse hormônio, chamado oxitocina, é conhecido porque tem o poder de ser liberado quando existe um vínculo entre grupos, ele também é transmitido por mães durante o parto e a própria amamentação.

De acordo com os resultados do estudo feito pela Universidade Bem-Gurion de Negev, acreditam que as pessoas que fazem parte desse grupo que possuem um relacionamento mais próximo tem maiores chances de mentir quando a mentira é capaz de beneficiar o grupo, do que quando ela beneficia a si mesmo.

A pesquisa realizada foi divulgada pela revista PNAS. Grande parte dos voluntários que participaram foi reunida em um grupo, e então foi feita uma tarefa que envolvia recompensas financeiras, recebendo oxitocina através de um spray nasal.

O grupo atendeu as expectativas, mentindo mais do que os que faziam a tarefa exigida sozinhos. Já os voluntários que não receberam o hormônio, mentiram também, mas bem menos que os outros. Durante a experiência, alguns dos participantes inalaram a oxitocina em forma de spray – para o grupo de controle –, e um spray sem hormônio e então tiveram que jogar cara ou coroa pelo computador, a intenção era que eles pudessem prever se a moeda iria mostrar cara ou coroa e só recebiam o prêmio financeiro se acertassem no jogo.

Questionamento

Com a ‘brincadeira’ feita em grupo, para cada acerto era recebido uma recompensa igual aos de quando os outros acertavam o resultado. Segundo o pesquisador que comandou a experiência, Shaul Shalvi, fez um questionamento: “As pessoas fazem tudo para servir ao grupo do qual fazem parte, mesmo quando isso inclui desrespeitar regras éticas como a que se refere a mentir?”.

Ele afirma que o pressuposto é que os resultados apoiem a abordagem funcional à moralidade, quando se decide o que é certo ou errado dependendo do contexto, se o ato serve aos seus entes queridos, aos membros do grupo, conclui.