Publicado em: quinta-feira, 07/07/2011

Pesquisa indica que café pode proteger contra o Alzheimer

Um estudo realizado pela Universidade do Sul da Flórida, nos Estados Unidos, afirma que ingerir café pode proteger contra o avanço do Mal de Alzheimer. A pesquisa, publicada no periódico Journal of Alzheimer’s Disease, foi feita a partir de modelos de animais geneticamente modificados.

Os cientistas apontam que a ingestão da cafeína aumenta a concentração sangüínea da substância G-CSF, que é associado a diminuição do avanço da doença. Outras pesquisas anteriores já provaram que a a cafeína tem pode diminuir a produção da proteína envolvida no processo de instauração do Alzheimer, a beta-amiloide.

A publicação diz que há uma interação sinérgica entre a cafeína e provavelmente algum outro componente que só é encontrado no café que melhora a produção do G-CSF. Os pesquisadores acreditam que se conseguirem isolar esse componente, ele poderá ser usado na proteção em longo prazo dos pacientes com a doença de Alzheimer. O consumo indicado para os efeitos positivos da cafeína é de 4 a 5 copos de café por dia, a partir dos 30 anos de idade. “Não estamos dizendo que o consumo diário de café vai proteger completamente as pessoas contra o desenvolvimento do Alzheimer. Mas acreditamos que esse hábito pode reduzir os riscos para a doença”, explica o líder do grupo, Chuanhai Cao.

A pesquisa aponta que além do café, algumas escolhas no estilo de vida, como atividades físicas e o exercício da cognição e mente, podem complementar a equação que busca ajudar e diminuir o risco do Alzheimer na idade mais avançada.