Publicado em: sábado, 14/07/2012

Pesquisa indica que 60% dos homens vão ao médico somente quando a doença já está avançada

Uma pesquisa feita pelo Centro de Referência da Saúde do Homem, que pertence à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, indica que 60% dos pacientes do sexo masculino que chegam à clínica para algum tipo de tratamento já são diagnosticados como um quadro avançado da doença, necessitando, na maioria das vezes, de intervenção cirúrgica. Esse número equivale a 1,5 mil pacientes por mês que chegam ao Centro. Esse resultado reflete a baixa procura dos homens por consultar e exames preventivos, o que já é mais comum de ser feito por parte das mulheres. Segundo o urologista que coordena o Centro de Referência da Saúde do Homem, Joaquim Claro, é necessário que os homens visitem um médico pelo menos uma vez ao ano depois dos 40 anos, principalmente para fazer uma avaliação de rotina da próstata, já que este é o problema que mais preocupa os homens. Com esse resultado, é possível indicar que os pacientes não conheciam seus problemas de saúde e também não deram atenção aos sintomas iniciais da doença. Se os homens fossem ao médico mais vezes, o tratamento seria mais precoce em pelo menos 90% dos casos. No entanto, segundo o médico, não há o costume de freqüentar um médico anualmente por parte dos homens.

Câncer de proposta atinge 16% dos homens, segundo médico

O médico alertou que as doenças mais comuns depois dos 40 anos são câncer de próstata, que alcança 16% dos homens, seguido de problemas na bexiga ou nos rins. Além disso, 100% dos homens sofrem com o crescimento benigno da próstata. Claro disse que logo quando criança é preciso que os meninos sejam avaliados para saber a propensão em desenvolver algum problema nos testículos e se tiveram uma formação adequada já que com o envelhecimento os problemas passam a aparecer com mais freqüência e geram mais preocupação.