Publicado em: segunda-feira, 04/07/2011

Pesquisa identifica genes responsáveis pelo não envelhecimento de células cancerígenas

Uma pesquisa realizada por um grupo de cientistas do Departamento de Patologia John Hopkins Medical Institutions, na cidade de Baltimore, nos Estados Unidos, com parceria de duas brasileiras identificou os genes responsáveis pela maior resistência das células cancerígenas. Diferente da célula sadia, a cancerígena não consegue envelhecer, ou seja, por isso não morre e acaba com o processo.

O estudo foi publicado na revista Science e aponta que o envelhecimento celular é determinado por um mecanismo molecular, que possui encurtamento no telômero, parte da seqüência do DNA que protege as extremidades dos cromossomos. A célula age em defesa através da enzima telomarase, porém, a cancerígena não produz essa substância. Segundo os pesquisadores, a célula doente para a manutenção do telômero, o que impede o seu encurtamento.

Os cientistas identificaram dois genes encontrados com freqüência em tumores, chamados ATX e DAXX, responsáveis pelo telômero manter o seu comprimento, evitando o envelhecimento das células. A pesquisa foi realizada a partir de uma técnica composta pela marcação histomológica molecular chamada “hibridização in-situ com marcadores fluorescentes específicos de telômeros”. Na publicação, os pesquisadores alegam que a pesquisa é um grande avanço para compreender a ação das células cancerígenas e tentar combater a ação delas.

A primeira mutação dos genes foi encontrada em carcinomas do pâncreas, mas o grupo estendeu a pesquisa e conseguiu identificar a presença em outro 447 tipos de câncer, incluindo tumores que afetam o sistema nervoso central, que atinge adultos e crianças.