Publicado em: sexta-feira, 22/02/2013

Pesquisa diz que cursos de idiomas online são melhores que professores particulares

Pesquisa diz que cursos de idiomas online são melhores que professores particularesCom uma rápida pesquisa na web, várias portas são abertas para quem quer deseja aprender um novo idioma. Diversos sites especializados, blogs, videologs e redes sociais podem permitir que alunos de todo o planeta possam trocar conhecimentos de suas línguas mães. A independência nas turmas fechadas e recursos de maneira interativa que podem dinamizar o aprendizado e facilitar atividades que, dentro da sala de aula, iria ser inviáveis ou não seriam interessantes. Porém, antes de fazer apostas em oportunidades cômodas e que não tenham custos, é necessário que o usuário esteja atento para a qualidade do material e que tenha disposição para que dê continuidade ao curso.

A grande parte de cursos online gratuitos para idiomas não tem uma metodologia realmente específica e é difícil de encontrar um modelo estruturado presente nos cursos tradicionais, pois há privilégios para o ensino ágil e dinâmico. Outra coisa comum é uma oferta de modalidade trial para cursos pagos ou premium, que o estudante ir se familiarizando ao plano que pretende adquirir. Fora os cursos formais, também há popularidade nos interessados em conhecer uma nova língua algumas redes sociais para ensino, como por exemplo o Livemocha, que a Abril Educação realizou a compra de 6% da participação, e também o Busuu.com. No mês de março do ano passado, o site fez a divulgação de um estudo que foi realizado com parceria junto à instituição espanhola IE Business School, que avaliou as preferências e perspectivas do aprendizado dos idiomas de 45 mil usuários que tinham cadastros em 230 países.

Este estudo apontou que estas plataformas interativas para ensino são vistas como sendo o segundo melhor método para aprendizado, com 20% das opiniões, e perdem apenas dos intercâmbios de estudos com 23%, e chegam a superar inclusive os professores particulares que tem 15% das escolhas e aulas tradicionais com 8%. Dos alunos que afirmaram preferir este aprendizado de maneira online, 35% dizem que a flexibilidade nos horários e nos locais para estudo são o grande motivo, e um quarto de todos os participantes na pesquisa recorreram a este método para que conseguissem conversar com pessoas que tem a língua estudada como nativa. Sem contar o aspecto financeiro, esta possibilidade de que o curso pode ser ajustado à agenda dos alunos sem que haja necessidade de um deslocamento ou da dependência de que turmas sejam formadas estão entre os aspectos que fazem com que os cursos online gratuitos possam ser uma opção atraente.