Publicado em: quinta-feira, 21/02/2013

Pesquisa aponta que casos de pedras nos rins podem aumentar 30% durante o verão

Pesquisa aponta que casos de pedras nos rins podem aumentar 30% durante o verãoEm uma pesquisa que o Centro de Referência da Saúde do Homem de São Paulo realizou, ficou apontado que nos casos de emergência devido a pedras nos rins tem um aumento de cerca de 30% durante o verão. Nos meses de janeiro até março de 2012, os médicos chegaram a atender aproximadamente 130 homens e mulheres ao mês que tiveram crises de cólica renal.

De maneira normal, o número chega a 100 pacientes, entre 3 mil que são recebidos em uma unidade de saúde por mês. Fora os casos de urgência, aproximadamente 900 pessoas chegam a marcar consultas que são agendadas anteriormente devido a este problema.

Conforme aponta o urologista Fabio Vicentini que é chefe no setor de cálculo renal do centro, beber pouco líquido, transpirar bastante, se alimentar mal, consumir muito sal e muita carne vermelha, e ficar acima do peso podem contribuir para que isto ocorra.

Ele afirma ainda que quando um indivíduo fica desidratado, a quantidade de concentração de cristais sobre a urina é grande. Dessa forma eles ficam juntos e chegar a forma a pedra, em períodos de até um mês. Conforme aponta o médico, também existe um pico nos casos dois meses depois do verão, devido aos abusos que foram cometidos durante o período.

Vicentini diz que entre os alimentos que podem aumentar o risco de ocorrerem estes casos, estão o amendoim, a castanha-do-pará, a calabresa e o camarão. Para conter isto, são indicados alguns líquidos como a água e os sucos de limão, de laranja e de melão que podem ser ótimas maneiras para a hidratação. Estes sucos são indicados, pois essas frutas tem uma substância denominada de citrato, que pode contribuir para que o rim funcione de maneira melhor.