Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Período da prisão domiciliar de José Genoíno acaba nesta quarta

Acaba nesta quarta o período da prisão domiciliar de José Genoíno Na segunda-feira (17), o advogado do ex-presidente do PT, ex-deputado federal e condenado do mensalão, José Genoíno, fez um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) que seja concedido a ele a prisão domiciliar definitiva, alegando que Genoíno corre “risco de morte” se tiver que cumprir a pena novamente na cadeia. No momento, ele cumpre pena domiciliar em Brasília. José Genoíno foi condenado a 6 anos e 11 meses de reclusão pelo processo do mensalão que foi julgado por corrupção ativa e formação de quadrilha, em que poderiam ser cumpridos em regime semiaberto (ao qual o preso pode sair para trabalhar).

Em novembro de 2013, no tempo em que estava no presídio da Papuda cumprindo sua pena, junto com os colegas de partido Delúbio Soares e José Dirceu, Genoíno passou mal e teve que ser internado às pressas com suspeita de infarto. Diante das circunstancias e da saúde debilitada do ex-deputado, a defesa entrou com o pedido para ele cumprir a pena em prisão domiciliar, ao qual foi concedido por 90 dias e se encerram na quarta-feira (19), contudo, no laudo em que foi solicitado pelo ministro do STF, Joaquim Barbosa, consta que a cardiopatia do condenado não é caracterizado como grave e não há necessidade de tratamento domiciliar.

Presídio da Papuda tem condições para receber Genoíno

Em um documento enviado ao STF, Genoíno informa que além de cardíaco, está enfrentando ultimamente um problema de síndrome depressiva, seu advogado afirma e usa como argumento o fato de ser precária a assistência médica emergencial e irregularidade no fornecimento de medicamentos no presídio da Papuda, o que no caso prejudicaria o cliente. Ainda diz que deixar que ele volte a prisão, seria expor desnecessariamente o paciente a um grande risco de morte.

Em contrapartida, um documento enviado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal ao ministro em dezembro de 2013, alega que o presídio da Papuda tem condições de receber José Genoíno e oferecer a estrutura médica da qual ele irá precisar, lá existem outros detentos com problemas de saúde, são 306 hipertensos, 16 cardiopatas, 10 com câncer, 14 com hepatite B, 56 com diabetes, entre outras doenças.