Publicado em: segunda-feira, 16/12/2013

Pedro Henry é levado para a Penitenciária da Papuda

Pedro Henry é levado para a Penitenciária da PapudaSentenciado a 7 anos e 2 meses na ação do mensalão, o deputado federal Pedro Henry (PP-MT) foi levado para a Penitenciária da Papuda, nas proximidades de Brasília. O político, que solicitou abdicação do emprego depois da comunicação do mandado de prisão, se apresentou perante a Polícia Federal.

Defensores de Henry, contudo, já avisaram que deverão solicitar a mudança dele para prisão em Mato Grosso, onde mora com seus familiares. A súplica, apesar disso, ainda não foi anexada junto ao Supremo Tribunal Federal.

Incriminado de ter embolsado dinheiro em substituição de base política no Congresso ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o parlamentar do PP foi estimado responsável pelos crimes de adulteração passiva e lavagem de grana. Em ambas as reprovações, o resultado foi de 7 votos pela reprovação e 3 pela anistia.

Ele expôs interdições infringentes (recursos que permitem novo ajuizamento) nos dois crimes, ainda sem ter contraído no mínimo quatro votos pela remissão, dígito ínfimo determinado para que um acusado possa promover a reanálise. Monocraticamente, o mandatário do STF e relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, recusou os recursos.

O meritíssimo falou que Henry não atestava o discernimento mínimo para ter direito a um novo ajuizamento.

Com a apresentação de Henry, do 25 acusados, 17 já estão cativos. Outros três incriminados (Emerson Palmieri, Enivaldo Quadrado e José Borba) principiarão a desempenhar sanções alternativas neste mês; um está fugido (Henrique Pizzolato); outro espera determinação sobre cárcere domiciliar (Roberto Jefferson); e os demais esperam apreciação de novos recursos (João Paulo Cunha, João Cláudio Genu e Breno Fishberg).