Publicado em: quinta-feira, 03/07/2014

Paulo Maluf é questionado pelo STF sobre alto número de testemunhas na ação

Paulo Maluf é questionado pelo STF sobre alto número de testemunhas na açãoO deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) foi questionado pelo ministro Ricardo Lewandowski do Supremo Tribunal Federal, em relação ao elevado número de testemunhas que foram apresentadas pelo parlamentar no processo em que ele responde na Corte. O deputado é acusado de lavagem de dinheiro por hipoteticamente desviar recursos de obras públicas da capital paulista, ainda quando era prefeito de São Paulo, e também por enviar esses valores para contas em paraísos fiscais. O ministro já havia decretado que a Procuradoria Geral da República iniciasse os procedimentos necessários para a repatriação de US$ 53 milhões que estão paralisados em diversas contas que o deputado mantinha no exterior. Maluf pede que o Supremo ouça 18 parlamentares e mais seis testemunhas do exterior. Como ele tem o direito a prerrogativa de escolher quando que ser ouvido ou se manifestar por escrito, a decisão final do processo sobre a possível condenação pode ter o prazo estendido em razão do alto número de testemunhas solicitadas. O ministro Lewandowski pediu ao parlamentar que esclareça o porquê é tão necessário que as testemunhas do exterior falem sobre o caso e de que forma os parlamentares podem contribuir no processo.

Decisão negada

A defesa do ex-prefeito pediu que o ministro reconsiderasse a decisão, mas ele negou nessa terça-feira (1). A assessoria de Maluf foi procurada para se pronunciar sobre o assunto, porém não foi obtida resposta por parte deles. No ano de 2011, o STF iniciou uma ação penal por lavagem de dinheiro contra 11 acusados, entre eles estavam Paulo Maluf e familiares, apenas o processo contra ele permanece no Supremo e parentes respondem na Justiça normalmente. Nessa época, as defesas de todos os envolvidos no caso, negaram participação no esquema.