Publicado em: terça-feira, 05/11/2013

Paulínia admite voltará com as atividades do polo cinematográfico

Paulínia admite voltará com as atividades do polo cinematográficoO polo cinematográfico de Paulínia, largado desde 2012, voltará às operações. Oficinas, estudos e editais serão reassumidos. Em setembro foi dado o sinal de que isso poderia acontecer, após a assinatura do pacto de cooperação federativa com Governo Federal e Ministério da Cultura, de adesão ao Sistema Nacional da Cultura (SNC) com a cidade de Paulínia.

Para a secretária de Cultura do município, Monica Trigo, este contrato constitui ajustes, como a concepção de um conselho de cultura com perfil da população e câmaras setoriais, que vão debater os artifícios públicos dos diversos setores do audiovisual. Outra atividade anunciada pela secretária é o Plano Municipal de Cultura, que irá ponderar obras para o município na próxima década.

Entre as atividades programadas está a inauguração da escola de animação, pois segundo Trigo é um campo que está progredindo bastante no país e que necessita de mão de obra. E ainda, proclamações para a fabricação de longas e curtas, compreendendo companhias com outras nações, devem ser difundidas brevemente.

Concebida para ser a Hollywood tupiniquim, calcula-se que perto de R$ 490 milhões já foram investidos no polo de Paulínia, desde a década de 1990, quando começaram as obras, as aplicações financeiras são provenientes dos royalties do petróleo.

Contudo, uma complicação política cessou as execuções das obras, que tem locais específicos de gravação, teatro, colégio, repartição de conquista de projetos e um ponto para alimentação. O projeto foi designado pelo ex-prefeito, Edson Moura (PMDB), que nomeou o filho Edson Moura Júnior (PMDB), no pleito de 2012, como artimanha para fugir da Lei da Ficha Limpa.

Moura concorreu à eleição por obra de uma prévia autorização da justiça, mas já havia sido sentenciadas em outras duas oportunidades pelo Tribunal de Justiça de São Paulo por fraude administrativa.

Após apelar na justiça, quem começou tomando a função no momento foi o candidato derrotado José Pavan Junior (PSB). Este por sua vez já tinha desistido do polo, também anulou o famoso o festival de cinema de Paulínia. Após intensa batalha jurídica no início do segundo semestre deste ano, Moura Junior retomou o cargo.