Publicado em: sexta-feira, 16/09/2011

Partido de centro-esquerda vence eleições parlamentares após 10 anos de governo direitista

As eleições parlamentares da Dinamarca que aconteceram nesta quinta-feira (15) mudaram dois fatores no país. Depois de dez anos, o partido direitista foi derrotado e o bloco de centro- esquerda começa a governar. Além disso, a representante do “Bloco Vermelho”, Helle Thorning-Schmidt, foi escolhida para ser a primeira mulher a ocupar o cargo de premiê na Dinamarca. Antes do resultado oficial, o então primeiro-ministro, Lars Lokke Rasmussen, havia reconhecido a derrota para os adversários.

Em entrevista concedida à TV2 News, Rasmussen afirmou que vai deixar o cargo ainda nesta sexta-feira (16). “Amanhã [sexta-feira] vou entregar minha renúncia à rainha. Não há mais base para continuar no governo. Mais cedo esta noite liguei para (a chefe da oposição) Helle Thorning-Schimidt. A cumprimentei e disse que ela tem agora a possibilidade de formar um novo governo”, declarou o então primeiro-ministro. Agora, o setor que apóia Thorning-Schmidt no Parlamento vai ter maioria de cinco cadeiras do total de 179 lugares. Para ter um parecer final sobre a maioria do “Bloco Vermelho” no Parlamento é preciso esperar a decisão da Groenlândia, que faz parte do Reino da Dinamarca. Antes de fecharem a apuração final, a Groenlândia e as Ilhas Feroe ainda não haviam votado, o que poderia garantir a vitória ao “Bloco Azul”, grupo de centro-direita.

Porém, a tranquilidade da vitória do “Bloco Vermelho” foi garantida por especialistas das eleições dinamarquesas, que afirmaram para a imprensa local que a tendência seria ambos os territórios votarem a favor do partido de Thorning-Schmidt. O principal motivo para estimular a mudança no governo foi a crise econômica na Dinamarca, que não faz parte da União Europeia.