Publicado em: quarta-feira, 03/07/2013

Participantes A Fazenda 6 – Fazendeira da Semana discute com confinados

Participantes A Fazenda 6Em A Fazenda 6, desde que assumiu a liderança na segunda semana da sexta temporada da Fazenda, na Rede Record, a vice Miss Bumbum Andressa Urach está mesmo tocando o terror dentro do confinamento. Ela ficou bastante revoltada depois da formação da primeira roça, principalmente pela argumentação do músico Ivo Meirelles, que votou nela. A gata havia tornado questão de honra voltar a da prova do fazendeiro com a liderança nas mãos e realmente conseguiu. Ao chegar em casa, ela garantiu que ia fazer da vida de todos um inferno, colocando os peões para trabalhar exatamente com os animais e tarefas que mais tem dificuldades.

Agora, depois de estar arrumando encrenca e falando de forma grosseira com a maioria dos confinados, foi com a ex-chacrete Rita Cadilac que Andressa se desentendeu. A dançarina foi o alvo do mau humor da fazendeira. Após o almoço do primeiro dia, Andressa fez uma avaliação do desempenho de todos os peões nas novas tarefas. Ela fez uma lista sobre a atuação e ainda chamou atenção dos competidores sobre alguns pontos que precisam de um pouco mais de cuidado. Até este momento, mesmo com Ivo Meirelles, o clima estava harmonioso.

O problema começou quando Rita, assim como os outros peões, foi reclamar que a cantora Lu Schievano não estava cumprindo sua tarefa, como forma de provocação para os outros competidores. Mas Rita foi reclamar com a fazendeira, lembrando que todo mundo precisa colaborar com as tarefas. Andressa, que já sabia ser um plano da cantora para criar atrito no confinamento, afirmou que só designou as tarefas, mas que não pode obrigar ninguém a cumprir sua obrigação.

A ex-chacrete comentou que não costuma ficar reclamando de nada, mas como o comportamento de Lu estava prejudicando todo o grupo, ela achou que deveria dar um toque na fazendeira e dizer o que estava pensando. Andressa levou em tom de crítica e falou que Rita podia dizer o que quisesse, mas que não podia obrigar ninguém a cumpri as tarefas.