Publicado em: sábado, 05/05/2012

Parlamentares que compõe a CPMI de investigação de Cachoeira serão vigiados ao consultar documentos

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar Carlinhos Cachoeira e a sua influência em agentes públicos, deverá ter o máximo de cuidado e preservação de sigilo dos documentos emprestados pela Justiça para auxiliarem na investigação. Entre as medidas restritivas está o acesso apenas aos membros da comissão, os quais serão monitorados e não poderão usar celulares e aparelhos que possam capturar imagens. A investigação da polícia ocorre em sigilo, então é necessário que as informações fiquem restritas o máximo possível. Para acessarem os documentos que fazem parte dos inquéritos das operações da Polícia Federal que investigam o caso, os parlamentares que integram a CPMI só poderão usar os documentos, os quais foram digitalizados, por meio de três computadores.

Os deputados não poderão levar seus assessores e o trabalho será fechado em uma pequena sala que somente a comissão terá acesso. Conforme explicou o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da CPMI, essas medidas de segurança seguem as orientações de Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que permitiu o acesso aos documentos, mas de maneira restrita, conforme as regras estabelecidas. Todas essas medidas são para evitar que o conteúdo seja publicado de maneira indevida, prejudicando o trabalho da Polícia Federal.

Quem ficou responsável em implantar e vigiar as medidas foi a Polícia do Senado e a Secretaria Especial de Informática (Prodasen). Outra medida que não será permitida será a cópia de documentos que mostram como funcionava o esquema comandado por Cachoeira. Além disso, os integrantes da comissão, sempre que acessarem os computadores serão gravados e monitorados. Todo o trabalho vai ocorrer na sala da Subsecretaria de Apoio às Comissões Especiais e Parlamentares de Inquérito. Serão disponibilizadas apenas caneta e papel para os parlamentares fazerem anotações pertinentes.