Publicado em: domingo, 23/03/2014

Paraná substitui revistas constrangedoras nas prisões por aparelho tecnológico

Paraná substitui revistas constrangedoras nas prisões por aparelho tecnológicoNesta semana, a Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná inaugurou um novo equipamento para realizar as revistas em pessoas que vão ao sistema penitenciário para visitas. O Scanner Corporal, também conhecido como Body Scanner, foi instalado na Casa de Custódia de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, e permite que os agentes penitenciários realizem uma revista completa nas pessoas sem precisar as expor a situações constrangedoras.

Isso graças à alta capacidade que o equipamento tem de detectar qualquer tipo de metal, além de armas, explosivos, drogas ou qualquer outro objeto estranho que possa estar ocultado com o visitante, seja em bolsas, roupa ou até mesmo dentro do corpo. O objetivo é aumentar a interceptação deste tipo de itens já na entrada da prisão.

Dados da secretaria apontam eu, apenas em 2013, quase 5.900 aparelhos celulares e mais de 52 quilos de maconha foram apreendidos em revistas aos visitantes dos detentos. Além disso, diversas outras drogas e projetos proibidos foram interceptados nos 33 estabelecimentos penitenciários do estado.

A secretária da pasta, Maria Tereza Uille Gomes, espera que o recurso possibilite uma maior eficiência nestas buscas. Ainda segundo ela, a tecnologia evita situações constrangedoras desnecessárias, aumentando o conforto do visitante e reduzindo os níveis de estresse dos detentos, que ficam incomodados por seus familiares. Isso também pode acarretar em redução na hostilidade dentro do sistema penitenciário.

Tecnologia que traz agilidade

O modelo utilizado é o 16 HR-DV, que segundo a fabricante B-Scan emite baixos índices de raio x, e apresenta imagem de ótima definição. De acordo com a empresa, o nível de emissão de raio x é de apenas 0,1micro Sv por varredura. A Comissão Nacional de energia Nuclear permite até 1micro Sv.

Além de preservar a integridade física e moral, o aparato tecnológico ainda reduz o tempo das inspeções de quase 10 minutos para cerca de um minuto e meio, já que em apenas uma visualização o operador consegue realizar o escaneamento completo do corpo. Além disso, caso haja dúvidas, há a função de visualização localizada, com foco diferente. O Scanner ainda tem capacidade para armazenar características faciais e dados da pessoa vistoriada, para casos suspeitos.