Publicado em: quarta-feira, 19/02/2014

Paraná: Projeto deve formar 14 mil brigadistas em escolas

Projeto deve formar 14 mil brigadistas em escolas do ParanáFoi lançado nesta semana o programa Brigada Escolar, que está em sua segunda fase e neste ano deve formar 14 mil brigadistas nas escolas estaduais do Paraná. Entre os treinamentos ministrados estão combate a princípios de incêndios e plano de abandono, além de primeiros socorros.

No ano passado, 4.300 pessoas foram capacitadas pelo projeto, em 280 escolas que receberam a certificação também nesta semana. Para 2014 a meta é aumentar este número para 436 escolas. Escolas de maior porte, e que exigem elaboração de projetos especiais para a prevenção de incêndios, serão adequadas posteriormente.

O treinamento atende também aos alunos. Toda escola deve inserir no calendário escolar a realização de, no mínimo, um exercício simulado de abandono de edificação em cada semestre, e com a participação dos alunos de todos os turnos ofertados na instituição.

Segundo dados do Governo do Estado, foram investidos R$ 11 milhões em equipamentos e projetos de segurança para casos de emergência em toda a rede estadual de educação, que englobam ensino regular, profissionalizante e educação especial.

Modelo em prevenção a tragédias

O Programa Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola foi criado em 2012, e envolve a Secretaria da Educação, Bombeiros e a Defesa Civil do Paraná. A iniciativa é considerada pioneira no país, e foi classificada pelo Ministério da Educação como modelo para outros estados.

No projeto são adequados prédios de escolas para atender ao Código de Prevenção contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros. As Brigadas Escolares são formadas por, pelo menos, cinco brigadistas por instituição, que recebem treinamento dos Bombeiros e da Defesa Civil.

A primeira turma de novos brigadistas começou a qualificação na última segunda-feira (17), e é composta por 2.011 pessoas. Em maio, agosto e outubro serão formadas novas turmas, para chegar ao total de 14 mil brigadistas. Serão 76 horas de formação, sendo 60 aulas teóricas, realizadas à distância, e as outras 16 horas de aulas práticas presenciais.