Publicado em: quinta-feira, 22/09/2011

Paralisação teve adesão de mais de 100 mil médicos

A suspensão as atividades dos médios dos planos de saúde nesta quarta-feira (21) conseguiu mobilizar mais de 100 mil profissionais. O total corresponde a cerca de 70% de todos os médios do setor. O movimento aconteceu como uma forma de protesto as operadoras.

A paralisação aconteceu para todos os pacientes que haviam agendado as consultas de modo anterior. segundo a Federação nacional dos Médicos (Fenam) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) aqueles que não foram atendidos no dia poderão remarcar as consultas. Os atendimento de emergência e urgência aconteceram de forma normal.

Ao todo, 23 estados e o Distrito federal aderiras ao movimento. Na segunda-feira (19), a Fenam divulgou uma lista por estados dos planos que seriam paralisados. Apenas o Amazonas, Roraima e o Rio Grande do Norte não participaram da mobilização. Já na Bahia, a paralisação segue nos próximos seis dias.

Os médicos decidiram paralisar o atendimento aos pacientes dos planos que não apresentaram medidas satisfatórias ou ainda deixaram as discussões sobre os temas em debate. Os médios pedem que o preço das consultas seja reajustado e também que as operadores parem de interferir no atendimento profissional, principalmente em dificuldade o internamento de certos tipos de pacientes.