Publicado em: quinta-feira, 18/08/2011

Paralisação dos trens em Porto Alegre faz com que usuários busquem alternativa de transporte

A paralisação dos metroviários que aconteceu nesta quinta-feira (18) na região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul alterou a rotina daqueles que precisavam fazer uso do transporte coletivo. Contrariando a liminar expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) os funcionários da empresa Trensurb, responsável pelos trens de Porto Alegre, não compareceram ao trabalho e as estações ferroviárias permaneceram fechadas. Aqueles moradores que fazem uso dos trens precisaram então optar por outras formas de transporte, como ônibus ou até mesmo carros particulares.

Devido ao aumento da frota de veículos ocasionada pela paralisação do metrô houve um congestionamento na BR-116, no sentido interior-Capital, além de lentidão nas principais vias que dão acesso a Porto Alegre. Durante a tarde de quinta-feira os metroviários realizaram uma assembléia para definir se retomam as atividades ou não. Segundo a empresa Trensurb, os funcionários que não apareceram devem ter os pontos descontados no salário.

O Sindicato dos Rodoviários afirma achar injusta a notificação do Ministério Público do Trabalho que multou a entidade em R$ 30 mil para cada horário de pico de funcionamento que ficou sem atividade durante a paralisação, a entidade falou que quem deveria receber uma multa era a empresa Trensurb e não o sindicato.

Os metroviários decidiram de maneira unanime pela paralisação na tarde desta quarta-feira (17). Os funcionários iram parar as atividades durante 24 horas na região metropolitana de Porto Alegre. Então, o Ministério Público do Trabalho entrou com uma ação no TRT para que 100% dos grevistas trabalhassem pelo menos nos horários de pico.