Publicado em: segunda-feira, 28/05/2012

Paralisação de ônibus causa transtornos em Ribeirão Preto, SP

Mesmo depois de o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) ter determinado que 70% da frota do transporte coletivo da cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, circulasse em horário de pico hoje (28), a paralisação geral da categoria foi mantida, deixando o trânsito da cidade caótico.

Os grevistas ficaram em frente às garagens das empresas responsáveis pelo transporte coletivo (Rápido D’Oeste, Turb, Transcorp) já no início da madrugada. Nas ruas isso refletiu no um aumento de veículos, principalmente motos, circulando com passageiros. Assim, o preço desses serviços também aumentaram, uma corrida de mototáxi que costuma custar R$ 5, estava sendo cobrada em torno de R$ 10 no começo da manhã.

Noel Mendes de Araújo, motorista de ônibus o diretor do Seeturp (Sindicato dos Empregados das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Ribeirão Preto), afirma que os grevistas não irão ceder à pressão, pois funcionar com 70% da capacidade é quase o que acontece normalmente. Para ele, cumprir a decisão da Justiça iria anular o movimento por reajuste salarial que a categoria exige.

Os trabalhadores querem aumento salarial de 15%, sendo que o salário pago atualmente para a categoria é de R$ 1.316,52. Na sexta-feira (25), as empresas fizeram a oferta de 6,34% de aumento. Além disso, ofertaram ainda aumento de 7,5% no vale-alimentação, passando de R$ 400 para R$ 430, e mais 10% no prêmio, que era de R$ 251,85. Entretanto os valores não foram aceitos.