Publicado em: quinta-feira, 20/03/2014

Para o desenvolvimento de um medicamento é necessário muitos testes, levando-se em conta até a cultura popular

Para o desenvolvimento de um medicamento é necessário muitos testes, levando-se em conta até a cultura popularAtualmente com tudo tão rápido e pronto, antes de comprar algum produto as pessoas nunca param para pensar em como ele foi produzido e qual processo ele passou até chegar às prateleiras. De todos os processos, o que menos se imagina é o dos medicamentos, e este é um dos mais demorados que existe. Primeiro a descoberta da planta, depois o método para que se torne medicamento.

A cada vez que um remédio é produzido, é necessário que tenha um princípio ativo que seja promissor, para que se torne algo terapêutico. Para que os farmacêuticos cheguem a descoberta do princípio ativo, a pesquisa deve ser feita de muitas formas, como em populações rurais e até mesmo na cultura popular, exemplo: Nos métodos antigos, do famoso ‘chazinho’ da avó. Também é feito por meio de substâncias vindo de animais, como o veneno de cobras.

Deve ser realizado assim como a história da aspirina, que segundo especialistas, afirmam que ela se criou a partir das pessoas que afirmavam que o chá das filhas e casca do salgueiro era responsável por aliviar dores de cabeça, a aspirina é o medicamento mais antigo que existe. Os primeiros passos da elaboração de medicamentos sempre serão por meio da observação e pesquisa, só quando se tem convicção de que uma planta realmente tem o poder terapêutico, é que ela se torna um objeto da indústria farmacêutica, e ainda assim será investigado se é possível que seja aplicado em humanos.

Procedimentos

Alguns dos procedimentos são feitos por fase, primeiro pela descoberta da molécula, ela se dá quando uma planta é desvendada e tem substancias com poderes terapêuticos e então é dado início as pesquisas, que são feitas em tubos de ensaio, com células vivas. Após essa fase, depois de todos os testes químicos e se com os resultados, a molécula for promissora, parte-se para o teste em animais. Outro passo, dentre outros, é chamado de fase clínica, e é feito em alguns pequenos grupos de pessoas sadias. Quem participa destes testes no Brasil, não tem direito a remuneração, funciona como um teste voluntário.