Publicado em: quinta-feira, 03/07/2014

“Pânico” é condenado a pagar indenização de R$ 100 mil a Walcyr Carrasco

Panico é condenado a pagar indenização de R 100 mil a Walcyr CarrascoO programa humorístico Pânico na Band foi condenado esta semana, por decisão da 2ª Câmara Cívil do Rio de Janeiro, ao pagamento de indenização para o autor de novelas Walcy Carrasco. O programa terá que pagar ao autor o equivalente a R$ 100 mil em decorrência de uma sátira realizada com o novelista, com a criação do personagem Walcyr Churrasco. O advogado Ricardo Brajterman, representante do autor da Globo no processo, afirmou que Walcyr ficou feliz com a condenação.

A nota divulgada pela 2ª Câmara Cível do Rio de Janeiro ainda afirma que o Pânico está condenado ainda a não se aproximar do autor, mencionar o nome dele durante o programa e também exibir a imagem real de Walcyr Carrasco, ou mesmo a caricatura criada dele no programa. O programa corre o risco de receber uma multa no valor de R$ 5 mil para casa vez que violar alguma das determinações. As informações foram dadas pelo advogado de Walcyr Carrasco.

O advogado Ricardo Brajterman considera que esta indenização determinada pela justiça poderia ter sido ainda maior, devido a agressividade e o caráter pejorativo do personagem criado pelo humorístico, criticando ainda a forma como o programa aborda as pessoas que tem uma boa fama para conseguir conquistar audiência, resultando em execração pública, instigando o sadismo e morbidez dos telespectadores. O advogado ainda reiterou que o autor é uma pessoa intelectual que leva uma vida recatada, que vive num cotidiano muito retraído, integrante da Academia Paulista de Letras e não gosta deste tipo de brincadeira.

O advogado defende que o programa humorístico realizou um deboche do autor em rede nacional, que poderia resultar em brincadeiras e agressões contra o autor em sua vida pública. Por mais liberal que se possa considerar, representou uma brincadeira de mau gosto. A assessoria da Band ainda não se declarou sobre o caso, afirmando não comentar sobre os processos judiciais que envolvem o nome da emissora.