Publicado em: terça-feira, 29/05/2012

Países do ocidente expulsam diplomatas sírios depois do massacre em Hula

Nesta terça-feira (29), vários países ocidentais anunciaram a expulsão de diplomatas da Síria. A medida foi tomada depois do massacre de Hula, que aconteceu na sexta-feira e causou a morte de 100 pessoas. Os países que fizeram o anúncio foram Suíça, França, Espanha, Reino Unido, Canadá, Itália, Estados Unidos, Austrália, Alemanha e Holanda.

Provavelmente mais países tomem medidas parecidas em resposta a violência do país, que é cada vez maior. As medidas devem aumentar as pressões diplomáticas com relação ao regime de Bashar al Assad na Síria. Desde março de 2011, o presidente sírio repreende de forma violenta toda a rebelião que existe contra seu governo.

Decisão coordenada

Ao fazer o seu anúncio, a Alemanha afirmou que estava tomando a decisão de maneira coordenada com vários parceiros, como Reino Unido, Estados Unidos e França. O presidente francês, François Hollande, afirmou que a decisão será notificada para a embaixada Síria até esta quarta-feira (30). Hollande disse também que os “amigos” do país de Bashar al Assad irão reunir na capital francesa em julho.

Hollande disse que conversou com primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o ministro das Relações Exteriores, Laurente Fabius, teve uma conversa com o secretário-geral das Nações Unidas. Todos entraram em um acordo com relação a várias medidas que serão tomadas para colocar pressão na Síria.