Publicado em: quinta-feira, 17/04/2014

Pai do menino Bernardo nega participação no crime que chocou o país

Pai do menino Bernardo nega participação no crime que chocou o paísLeandro Boldrini, pai do menino Berbardo Boldrini de 11 anos de idade, que foi assassinado negou por meio de seu advogado qualquer participação na morte do filho, o corpo de Bernardo foi encontrado em uma mata próximo a cidade onde residia com o pai e também a madrasta.

Tudo veio à tona essa semana com a localização do cadáver do menino, segundo informações preliminares da polícia participaram do crime o pai do garoto, a madrasta e também uma amiga do casal, que foi quem fez o relato a polícia de como tudo teria ocorrido.

Os três suspeitos encontram-se presos e ainda não mantiveram contato uns com os outros, mas a polícia declarou que não existem dúvidas de essas três pessoas tiveram participação na morte do menino, segundo informações nos próximos dias deverá acontecer uma acareação entre o pai e a madrasta de Bernardo para que se possa traçar um perfil sobre a participação de cada um deles.

Na cidade onde o menino morava os vizinhos relatam que Bernardo era uma criança muito alegre e carente, diziam que o menino não tinha as chaves de casa e que por isso por muitas vezes ao chegar do colégio ele pulava o muro para poder ter acesso a residência.

Bernardo morava com o pai há quatro anos desde que sua mãe cometeu suicídio e foi o próprio menino que foi a um tribunal pedir para que pudesse voltar a viver com a avó materna sob alegação de que não era bem tratado pelo pai e também por sua madrasta, mas Leandro Boldrini pediu mais uma chance ao filho e o menino aceitou.

Três dias após o desaparecimento do menino Leandro ligou para uma emissora de rádio pedindo ajuda para que o filho fosse encontrado, muito frio ele pediu para quem obtivesse informações sobre o paradeiro da criança que entrasse em contato diretamente pelo 190 da Polícia Militar.

Testemunhas dizem que no sábado, um dia após o sumiço de Bernardo, o pai dele foi visto com a madrasta em uma festa, a polícia está apurando todos esses fatos, inclusive se o menino tomou ou não uma injeção letal que teria sido aplicada pela própria madrasta que é enfermeira, antes de o mesmo ser enterrado.