Publicado em: quarta-feira, 29/02/2012

Pai de menino que morreu em acidente com jet ski fala sobre o acidente

Antonio Edvan Moreira de Carvalho, pai de Mitchell Guilherme Pereira de Carvalho, o menino de nove anos que morreu em um acidente de jet ski no domingo (26), contou que só pilotou o veículo por insistência do filho. O garoto estava com um primo em uma boia puxada pelo jet ski dirigido pelo pai quando o bote bateu contra a pilastra de uma ponte.

“Ele queria ir de qualquer maneira. Alguma coisa pedia que eu não fosse, mas eu atendi o pedido dele”, disse Antonio, que continuou lamentando o fato de ter cedido ao pedido. “Eu não queria fazer aquilo, não queria puxar ele, mas ele insistiu. Às vezes você vai fazer o gosto do filho e acaba fazendo uma besteira sem saber.” O bote e o jet ski eram emprestados. Antônio admitiu que só tinha andado no veículo uma vez antes, e que tinha noção de que precisava ter habilitação para pilotar o equipamento em praias. “Se eu falar que eu sabia que tinha que usar em represa, essas coisas assim, eu estou mentindo”, confessou.

O pai do garoto afirmou que não estava em alta velocidade, e que tinha bebido meia lata de cerveja. Foram apenas alguns minutos de diversão. “Eu acredito que tenha sido a marola do outro jet, que tinha passado no sentido contrário. Eu acredito que tenha sido isso”, tenta achar explicação para a fatalidade. “Eu vi bater, o meu sobrinho caiu para fora da boia e ele [o filho] ficou caído dentro do bote. Eu liguei o jet ski de novo, voltei, puxei ele para cima do jet ski e o meu sobrinho, tomei rumo à margem, coloquei ele no carro e nós fomos pro hospital. O coração dele batia, mas ele não resistiu”, relatou Antônio.

O homem foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele chegou a ser preso, mas saiu após pagar fiança de R$630.

O acidente aconteceu na Represa Billings, na cidade de Ribeirão Pires, ABC paulista. Segundo alguns integrantes da Capitania dos Portos, que estiveram no local, o bote inflável só tem capacidade para levar uma pessoa. Já os representantes do Clube Náutico Tahiti informaram que o acidente aconteceu fora dos limites do espaço de lazer, embora a entrada e saída para a represa sejam feitas por dentro do clube.