Publicado em: terça-feira, 15/10/2013

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é recebido com entusiasmo nas escolas e universidades

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é recebido com entusiasmo nas escolas e universidadesO Pnaic (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa) é um programa do Ministério da Educação e celebra o acordo protocolado e adotado pelos governos federal, do Distrito Federal e todos demais municípios brasileiros, que tem como objetivo garantir que todas as crianças até oito anos de idade estejam alfabetizadas.

Esta iniciativa tem sido muito bem aceita entre os responsáveis pela execução do programa, ou seja, os educadores. Apesar da desconfiança inicial, pois acreditavam que se tratava apenas de mais um dos inúmeros projetos lançados pelo MEC, o entusiasmo é grande.

O Pnaic foi criado para acolher somente aos docentes responsáveis pela etapa de alfabetização das crianças do 1º ao 3º anos do ensino fundamental. Só podem participar professores cujos municípios estejam participando do projeto. A qualificação dos educadores deve ser no mínimo com formação pedagógica ou licenciatura.

Os mentores ainda têm como incentivo à bolsa de estudos a eles oferecidos. Os tutores recebem R$ 765 e os professores R$ 200. Dados do MEC informam que aderiram ao projeto 5.420 cidades, além de 38 universidades.

A adesão também dos professores de outras séries também evidenciam o sucesso do programa, os dados oficiais são de 650 estudantes universitários, mais 318.465 alfabetizadores e investimento de R$ 3.3 milhões.

Em 2014 haverá a inclusão da disciplina de matemática, e posteriormente ciências. Já para o final de 2013, está previsto uma avaliação dos alunos para conferir se os objetivos foram atingidos através da qualidade no aprendizado de cada um. As educadoras temem, no entanto, o que fará o MEC após o resultado deste exame. É sabido que o projeto deva continuar. De acordo com algumas coordenadoras, como por exemplo, Kátia Franca, da Secretaria de Educação do Distrito Federal, este pacto se assemelha ao movimento Paulo Freire em relação à alfabetização, pois gera mudança nos aspectos educativos, através de uma atenção redobrada aos primeiros anos escolares da criança.