Publicado em: sábado, 03/05/2014

Ordem dos Advogados do Brasil e sindicalistas querem que reajuste na tabela de IR seja de acordo com a inflação

Ordem dos Advogados do Brasil e sindicalistas querem que reajuste na tabela de IR seja de acordo com a inflaçãoA notícia de reajuste na tabela do Imposto de Renda, que foi revelada ontem em um comunicado da Presidente Dilma Rousseff, não agradou a todos os que receberam a notícia, para muitos, esta na verdade foi mais uma jogada de marketing devido à queda da Presidente nas pesquisas para a próxima eleição.

A presidente fez o anúncio de que a tabela de Imposto de Renda será corrigida e esses valores reajustados já passam a ser vigorados a partir do ano de 2015, a correção de 4.5% vale para a Taxa de Imposto que é retido na fonte, assim a taxa para isenção passa de R$ 1.787.77 para o valor de R$ 1.868.22.

Até o pronunciamento da presidente nada havia sido adiantado sobre quando esses reajustes entrariam em vigor, um programa em resposta as quedas nas pesquisas havia sido feito pela equipe de Dilma, porém nada a respeito das medidas para o reajuste no Imposto de Renda foi comentado, a não ser que a medida havia sido assinada pela Presidente.

Porém a correção de valores na tabela de Imposto de Renda que fica retido na fonte é de 4.5%, que é a meta que o governo estabelece para a inflação, mas o que gera descontentamento por parte de sindicalistas se deve ao fato de essas correções não serem feitas com base na variação dos preços.

Por todo esses descontentamento a Ordem dos Advogados do Brasil resolveu entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal para que o reajuste no valor aconteça de acordo com as taxas de inflação, já que quanto mais alta a inflação mais perda podem ser ocasionadas e repassadas aos trabalhadores, esta ação está sendo movida para evitar possíveis perdas aos trabalhadores e eles contam com o apoio de sindicatos que também defendem a mesma tese.