Publicado em: sexta-feira, 13/07/2012

Oposição denuncia morte de pelo menos 200 pessoas na Síria

Nesta quinta-feira (12), ao menos 200 pessoas foram assassinadas em decorrência de uma operação do Exército da Síria contra Tremseh, cidade da província de Hama. Os números foram registrados pelos grupos opositores do país. Segundo o presidente do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Romi Abdel Rahman, este massacre pode ter sido o maior desde que a revolução começou, em março do ano passado.

De acordo com Rahman, o massacre pode ser considerado o maior devido ao tamanho da cidade, sendo que esta possui aproximadamente 10 mil moradores. No entanto, o número exato das pessoas que morreram ontem pode ser bem maior do que o previsto, sendo que os grupos opositores divergem em seus registros.

Ataque

De acordo com o líder rebelde Abu Mohamad, os milicianos (Shabiha) e o Exército sírio começaram o bombeio às 11h de ontem, e só o concluíram às 21h. Segundo Mohamad, chefe de uma equipe de combate em Tremseh, o massacre causou a morte de mais de 200 pessoas. O líder rebelde afirma que várias casas estão em chamas.

Além disso, Mohamad conta que os moradores da cidade acreditam que os militarem retorne a cidade nesta sexta-feira (13) para matar aqueles que sobreviveram. A rede Comitês de Coordenação Local, por sua vez, aumentou o número de mortos para 220, e afirmou que, pelo menos, 288 pessoas foram mortas nesta quinta-feira na Síria.