Publicado em: quinta-feira, 16/06/2011

Operários da obra do Mineirão entram em greve

Já não bastasse o atraso natural das obras na maioria dos estádios brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 outro fator pode interferir no andamento das obras: as questões trabalhistas.

Na manhã desta quinta-feira (16) ficou decidido que os trabalhadores da obra do estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, entrariam em greve. As principais reinvindicações, segundo o sindicato dos trabalhadores da construção civil de Belo Horizonte, são por melhores salários e condições de trabalho.

De acordo com o presidente do sindicato, Osnir Venuto, dos 500 trabalhadores da obra apenas 50 voltaram a trabalhar depois do almoço de quinta. Todos os outros irão embora.

As 17h30 os operários farão nova assembleia para definir se a greve será mantida ou não. Já ouve uma primeira rodada de negociações entre as empresas e o sindicato mas sem sucesso.

As principais reinvindicações dos trabalhadores são o aumento de salário dos pedreiros de R$ 920 para R$ 1.250 e de serventes de R$ 605 para R$ 850; pagamento de hora extra de 100% em vez de 60% e a distribuição de cestas básicas.