Publicado em: quinta-feira, 01/03/2012

ONU condena regime sírio

Nesta quinta-feira (1º), o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou a Síria devido as “violações generalizadas e cada vez mais graves” cometidas no regime do país, que podem se assemelhar a crimes contra a humanidade. O Comitê também solicitou o término dos atentados contra os civis. O fórum composto por 47 membros foi feito com caráter de urgência e aprovou a condenação do país com 37 votos a favor.

A votação teve três abstenções (Equador, Filipinas e Índia), e China, Rússia e Cuba votaram contra a condenação. A medida aprovada havia sido apresentada pelos países que compõem o Golfo Pérsico, que tiveram o apoio das grandes potências ocidentais.

Quatro países não fizeram parte do debate e, consequentemente, não votaram. Elieen Chamberlain Donaho, representante dos Estados Unidos, afirmou que as delegações que votaram contra estão “na contramão da história”.

Texto pede acesso livre ao país

A resolução aprovada também solicita que o regime do presidente Bashar al Assad dê permissão para que as agências humanitárias possam atuam na região sem qualquer tipo de obstáculo. De acordo com informações da ONU, a repressão do regime sírio já matou mais de 7.500 pessoas no país desde o início dos protestos em março de 2011.

Esta é a quarta vez que o Conselho de Direitos Humanos da ONU condena o país. Porém, ele possui apenas autoridade moral e não uma força legal para atual contra a violência. No mesmo dia em que aconteceu o debate, o exército sírio bombardeou um reduto da oposição na cidade de Homs. Os rebeldes se retiraram do local do conflito em uma “retirada estratégica”.