Publicado em: segunda-feira, 23/07/2012

Olimpíadas 2012 – EUA sofrem para ganhar da Argentina no basquete

Se até a semana passada o ala Kobe Bryant afirmava que a sua geração e o atual time de basquete masculino dos Estados Unidos eram tão talentosos que poderiam vencer o Dream Team de 92 (considerado um dos melhores times de todos tempos, que contava com, entre outros, Michael Jordan e Magic Johnson), o jogador dos Los Angeles Lakers poderá adotar um tom mais modesto após os amistosos que os norte-americanos fizeram.

Depois de passar por apuros contra o Brasil, quando venceram por apenas onze pontos de diferença, mas chegaram a ficar atrás do placar por dez pontos, no último domingo (22) foi a vez da Argentina dar trabalho aos Estados Unidos. Em jogo amistoso em Barcelona, os norte-americanos venceram os sul-americanos, com muitas dificuldades e um placar apertado: 86 a 80.

Se no começo do confronto o time dos Estados Unidos deu a impressão que daria um show, impondo um ritmo forte e abusando das jogadas de efeito, no final da partida a Argentina mostrou porque, mesmo com uma geração bastante experiente, ainda é uma das candidatas à medalhas nos Jogos Olímpicos de Londres, Comandadas pelo armador Manu Ginóbili, com os auxílios de Luis Scola e Carlos Delfino, os argentinos apertaram o ritmo e dificultaram as coisas para os Estados Unidos.

A partida acabou sendo definida pelos valores individuais norte-americanos, sobretudo por Kevin Durant. O ala-pivô do Oklahoma City Thunders foi o grande nome de sua equipe, tendo anotado 27 pontos e seis assistências. Pela Argentina, Ginóbili marcou 23 pontos. O confronto ainda foi marcado por lances de tensão, entre Durant e Scola, que se estranharam dentro do garrafão e chegaram a trocar empurrões.

Os Estados Unidos fazem mais um teste antes da estreia nos Jogos Olímpicos de Londres. Na terça-feira (24) a equipe norte-americana encara a Espanha (outra favorita a medalhas). A estreia dos Estados Unidos nas Olimpíadas acontece no dia 29, contra a seleção da França. A chave dos americanos ainda conta com as equipes de Lituânia, Nigéria e Tunísia.