Publicado em: segunda-feira, 26/03/2012

Obama promete negociar desarmamento nuclear com a Rússia

Nesta segunda-feira (26), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu que irá negociar com a Rússia a questão do desarmamento nuclear do país. O chefe de Estado pediu que a China também faça o mesmo e fez declarações de alerta para o Irã e a Coreia do Norte. Obama admitiu que seu país possui mais reservas nucleares do que o necessário, e afirmou que há possibilidade de que ocorra uma redução.

Falando isso, Obama tentava atrair outros países que eles adotem esta medida, que é muito mais concreta, a fim de acabar com as ameaças de ataques terroristas nucleares. O presidente norte-americano deu suas declarações para os alunos da Universidade Hankuk, na Coreia do Sul, pouco antes de participar da inauguração da cúpula global de segurança em Seul.

Reunião com Putin

Obama disse que irá conversar sobre o desarmamento nuclear com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em uma reunião que irá acontecer em maio. No entanto, as reduções dos arsenais nucleares não são vistas com bons olhos pela oposição republicana que compõem o Congresso dos Estados Unidos. Como 2012 é um ano eleitoral, a oposição está acusando o atual presidente, que busca a reeleição, de “enfraquecer a dissuasão nuclear” do país.

Em 2009, Obama já havia declarado, em Praga, que era o momento de que o mundo buscasse pelo fim do armamento nuclear. Na época, o chefe de Estado admitiu que este era um objetivo a longo prazo. Em sua declaração desta segunda-feira, Obama reafirmou seu compromisso, e disse que aqueles que acreditam que este objetivo é impossível e nunca será atingido estão enganados.