Publicado em: quinta-feira, 21/07/2011

Obama enfrenta desgaste político com falta de acordo para aumento do teto da dívida

Mantendo o ritmo de quase uma reunião por dia, o presidente americano, Barack Obama, vem enfrentando o aumento da pressão política para chegar a um acordo quanto ao aumento do teto da dívida dos Estados Unidos. De acordo com o governo americado, o prazo para não deixar de cumprir com as responsabilidades financeiras é até o dia 2 de agosto. As reuniões envolvem o presidente e os líderes dos partidos Republicano e Democrata.

Até o momento, o governo americano já atingiu o limite legal definido pela Constituição quanto ao valor permitido para o endividamento, que é estabelecido em US$ 14,3 trilhões. Os americanos atingiram essa marca no dia 16 de maio, sendo que desde então as negociações vem sendo discutidas para tentarem chegar a um acordo sobre o teto da dívida. Para sanar temporariamente o problema, o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, resolveu implantar medidas temporárias para controlar os gastos do país.

Esse é o problema que precisa ser resolvido até o dia 2, pois as medidas temporárias somente vão segurar a crise até essa data. Apesar de agora estar sendo discutido constantemente, a elevação do teto já foi feita diversas vezes para evitar que o país deixasse de cumprir com as suas obrigações. Mas, caso não se chegue a um acordo, essa será a primeira vez que os EUA vai deixar de fazer os pagamentos necessários.

O problema entre os dois partidos é chegar a um consenso quanto a qual setor deve ter alterações nos investimentos. Enquanto os republicanos não aceitam aumentar os impostos, os democratas querem alterar os valores para os programas sociais.