Publicado em: sexta-feira, 30/09/2011

Obama e Fidel trocam provocações a respeito do regime político em Cuba

A abertura da economia cubana, que prevê a autorização de compra e venda de carros novos a partir de 1o de outubro, levou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a se pronunciar a respeito da situação na ilha. Obama declarou que a onde democrática no mundo árabe deveria servir de exemplo para que “a mesma coisa aconteça em Cuba”. Enquanto isso, o ícone da revolução cubana, Fidel Castro, publicou um artigo em resposta afirmando que talvez muitas coisas mudem em Cuba, mas que o império norte-americano pode ruir antes.

O presidente norte-americano garantiu que sempre estará disposto a melhorar a relação entre o seu país e Cuba, contanto que consigam perceber a mesma vontade vindo da ilha caribenha. Para ele, o governo deve demonstrar que está disposto a rever algumas determinações e dar a liberdade ao seu povo. Obama defende que “se virmos um movimento positivo, responderemos de forma positiva.”

Contudo, Fidel rebateu ironizando o presidente norte-americano ao escrever “que simpático! Que inteligente! Tanta bondade não o permitiu compreender ainda que 50 anos de bloqueio e de crimes contra nossa pátria não puderam dobrar nosso povo”. No mesmo artigo escrito por Fidel, o líder também lembra a situação de René Gonzalez, cidadão cubano preso nos Estados Unidos.

González fez parte da agência secreta cubana para descobrir informações a respeito de agências direitistas em Miami que tentavam derrubar o governo de Fidel. Quando descoberto, González foi condenado e preso, mas logo sua sentença chega ao fim. Porém, a justiça norte-americana determinou que o cubano deve passar mais três anos nos Estados Unidos como regime de liberdade condicional.