Publicado em: quarta-feira, 17/04/2013

Obama diz que qualquer ataque contra civis é um ato de terror

Obama diz que qualquer ataque contra civis é um ato de terrorO presidente Barack Obama afirmou nesta terça-feira que explosões como as que ocorreram nesta segunda-feira (15), próximo à linha de chegada da Maratona de Boston, onde há civis e inocentes, são atos de terror.

O presidente democrata destacou, porém, que não existem informações sobre que fez a autoria deste crime. E não se tem ideia se a pessoa que está por trás disso é uma organização ou é apenas um indivíduo e nem se isto teve origem no país ou por outro país. Obama falou que tudo que for dito durante este momento vai ser apenas especulação. Ele ainda disse que os americanos se recusam a ser aterrorizados.

Ainda na segunda-feira (14), data das explosões em Boston, Obama havia feito uma declaração breve em que evitou utilizar a palavra terrorismo. Ele apenas afirmou, como chegou a repetir durante esta terça-feira (16), que os culpados vão ser perseguidos, presos e serão levados para a Justiça. Conforme aponta a polícia federal americana (FBI), o caso depende de uma investigação criminal que está tratando como sendo uma investigação terrorista em potencial.

Durante esta terça-feira (16) houve o esclarecimento de que os pacotes que tiveram suas detonações horas após às explosões, não continham explosivos, isto é, o ataque tinha apenas duas bomba que foram detonadas de maneira coordenada. As explosões aconteceram perto das 14h50 (15h50 no horário de Brasília) de segunda-feira (15), na Boylston Street, há poucos metros do final do percurso da Maratona de Boston, aproximadamente três horas após à chegada dos vencedores, porém, o local ainda tinha vários participantes, familiares dos atletas e torcedores.

Segundo aponta o FBI, não existem riscos de um novo ataque, embora a segurança na cidade tenha sido reforçada. Os quarteirões que ficam próximo ao local em que as explosões ocorreram continuam interditados e devem ser palco de perícias durante mais alguns dias. Várias testemunhas foram ouvidas, e a polícia chegou a pedir para que elas cedam as fotos que tiverem, para que possam colaborar com as investigações.