Publicado em: quarta-feira, 26/06/2013

Obama diz que os EUA precisam agir contra o aquecimento global

Obama diz que os EUA precisam agir contra o aquecimento globalO presidente Barack Obama, dos Estados Unidos, disse nesta terça-feira, dia 25, que a população dos EUA está pagando um alto preço do aquecimento global. Ele também diz que é preciso que ações sejam tomadas o mais logo possível, mesmo que alguns céticos mostrem oposição em relação às consequências.

Ele afirmou que a população do país inteiro já está pagando um alto preço. Em seu discurso ele disse que a nação precisa agir e que sua fala não era apenas como presidente, mas como americano e pai de família. Ele apontou ainda que o país precisa agir o quanto antes, e que a maneira como as ações serão executadas terá um profundo impacto no mundo que os americanos deixarão como herança para os filhos e também os netos.

O presidente apontou que ordenou que a Agência de Proteção Ambiental (EPA) – que tem a função de um Ministério de Meio Ambiente nos Estados Unidos – elabore medidas para que seja regulamenta a emissão de gases de usinas de carvão que provocam a o efeito estufa.

Obama adiantou que o projeto do gigante oleoduto Keystone XL na região do Texas, entre os Estados Unidos e Canadá, só terá aprovação se não provocar elevação na emissão de gases que provocam o efeito estufa e se realmente for interessante para o país. Obama fez o pronunciamento na Universidade de Georgetown e divulgou algumas bases para a estratégia de enfrentamento ao aquecimento do planeta.

Ainda em relação ao projeto de oleoduto, Obama disse que o interesse dos Estados Unidos será viabilizado apenas se não aumentar a contaminação por carbono. Nos próximos meses o Departamento de Estado fará uma recomendação considerada final a respeito do projeto.

No relatório que o Departamento divulgou em março apontou que o projeto não iria causar impactos contra o meio ambiente. Mas, a definição final cabe a Obama.

Para quem defende o projeto – que seria responsável por transportar petróleo da áreas arenosas de Canadá até a costa do Texas, nos Estados Unidos, o impacto contra o meio ambiente será mínimo. Os críticos, no entanto, afirmam que as areias desta região possuem o petróleo considerado mais sujo do mundo, porque o produto precisa ser mistura à água em ebulição para que somente então sejam obtidos produtos que são derivados e considerados utilizáveis.

Para que seja extraído petróleo é preciso ainda que seja queimado combustível fóssil, o que gera emissão de gases que interferem na mudança climática.