Publicado em: sexta-feira, 27/06/2014

“O PT usa o Bolsa Família em véspera de eleição como terrorismo”, diz Aécio

“O PT usa o Bolsa Família em véspera de eleição como terrorismo”, diz AécioNessa quinta-feira (26), senador Aécio Neves candidato pelo PSDB à Presidência da República, concedeu uma entrevista à Rádio Pioneira de Teresina, em meio a diversos assuntos, foi abordado sobre o projeto de lei que ele criou aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal que é responsável pelas mudanças no Bolsa Família. O presidente afirmou que o programa precisa deixar de ser uma arma na mão de candidatos, como forma de ‘terrorismo’ nas vésperas de eleição. Ele afirma que o projeto é simples e garante que o Bolsa Família permanecerá mesmo com a mudança na presidência.

Além disso, o programa ganhará uma nova cara e será ampliada. Segundo ele, é necessário que o Bolsa Família saia da agenda eleitoral, o PT usa em véspera de eleição como forma de terrorismo ao povo. “O programa deve ser uma política pública legal e não deve ser usado de forma irresponsável na véspera da eleição”, completa.

Propostas cumpridas

O projeto no qual Aécio Neves (PSDB-MG) é autor, determina que os beneficiários continuem sendo atendidos normalmente por pelo menos seis meses, mesmo que a renda do indivíduo venha a aumentar e ultrapasse o limite permitido de R$ 154,00 por pessoa para que consiga se beneficiar. O candidato aproveitou para criticar o PT e dizer que “marketing” do partido, tem sido a única prioridade deles, afirmando que seu programa de governo irá abranger toda região do Nordeste, com um projeto de desenvolvimento econômico.

Ressaltou ainda que, o Piauí é uma região privilegiada com o Delta do Parnaíba, porém esquecida, por isso, a partir de agora deve ser vista com outros olhos e com profissionalismo. O tucano garante que tudo o que foi proposto por ele em campanha, serão cumpridos no mandato. Nessa sexta-feira (27), ele participa da convenção regional do PSDB e PMDB em Teresina para estabelecer a candidatura do governador do partido, Zé filho, que irá se reeleger tendo Aécio e o ex-prefeito da capital, Silvio Mendes, como vice.