Publicado em: quarta-feira, 07/05/2014

‘O Brasil não vai explodir em 2015, vai é bombar’, diz Dilma

O Brasil não vai explodir em 2015, vai é bombar diz DilmaDiferente da opinião dos analistas e econômicos e oposição, a presidente Dilma Rousseff acredita que 2015 será um ano de crescimento econômico e que o país vai “bombar” no próximo ano. A análise foi feita em um jantar com jornalistas que durou mais de quatro horas na noite da última terça-feira (06) em Brasília.

Segundo a presidente, acreditar que a economia do país quebre no próximo ano é ridículo. Estes jantares fazem parte de uma nova tática do governo federal em se aproximar dos jornalistas e de políticos da base aliada. Neste evento, o objetivo era de passar a imagem de que a economia do Brasil está bem e passar uma imagem mais positiva ao país.

Dilma disse que há desinteresse dos analisas econômicos e que a inflação está sob controle, porém, não está do jeito que o Governo Federal esperava. De acordo com a presidente, há sim um incomodo, mas é porque houve uma diferença de crescimento das taxas de bens de consumo com o de serviço.

A presidente afirmou que não há condições de fazer investimentos que surjam efeito no setor de serviços pois é uma medida que requer tempo e as metas do governo federal têm sido atingidas nos últimos anos.

Sem mencionar o nome de Aécio Neves (PSDB/MG), que chegou a afirmar que, caso eleito, tomaria medidas impopulares. Dilma disse que tais medidas não seria preciso. “Precisamos que não confundam medidas impopulares com antipopulares”, destacou.

O pré-candidato a presidência, Eduardo Campos (PSB), chegou a dizer que fará de tudo para que inflação no país seja de 3%. Entretanto, para a chefe do Executivo federal, a ação resultaria no aumento do desemprego, algo em torno de 8,2%, diferente dos 5,0% atuais.

Além disso, Dilma alegou que não há nenhuma intenção de mudar a equipe econômica, sobretudo o Ministério da Fazenda, de Guido Mantega.