Publicado em: sexta-feira, 30/08/2013

Nuvens são vendidas de forma errada para os brasileiros, diz pesquisa

Nuvens são vendidas de forma errada para os brasileiros, diz pesquisaUm estudo desenvolvido pela empresa Frost & Sullivan afirma que as nuvens, também conhecidas como cloud computing, estão sendo vendidos de forma errada pelos prestadores de serviço no Brasil. A pesquisa usou como base 25 data centers presentes em território brasileiros e entrevistou mais de 120 gestores de TI.

Por mais que façam ofertas de cloud computing, menos de um quarto dos data center do Brasil estão vendendo os serviços de TI seguindo a real proposta desse novo modelo de armazenamento. Fernando Belfort, representante da Frost & Sullivan na América Latina, contou que visitou as empresas participantes da pesquisa pessoalmente para saber o que elas estão entregando de fato quando fornecem o serviço de nuvem para as empresas e como estão cobrando por esses serviços.

De acordo com as informações fornecidas por ele, menos de 85% das empresas estão vendendo a nuvem com a cobrança por uso. O que está acontecendo é que estão fazendo ofertas do serviço da maneira errada.

Para Belfort a nuvem deve ser cobrada com base na sua utilização, mas que a maioria das empresas que atuam no Brasil ainda não seguem o modelo correto de cobrança, o que impede que o serviço de nuvem no país não se desenvolva como o esperado e com mais velocidade.

Na pesquisa, a empresa de consultoria descobriu que os executivos que já tem uma noção melhor sobre o cloud computing sabem que a contratação de TI pelo modelo de serviço se trata de uma condição estratégica. Eles sabem que a nuvem traz impactos para a vida das pessoas, além de valor e vantagens para o negócio, assim como também trazem riscos.

Cloud computing no Brasil

Segundo Belfort, o conceito de nuvem pelos brasileiros já está entendido e está amadurecendo. No entanto, a adesão ao serviço ainda é baixa por conta dos desafios que podem ser enfrentados com a adoção desse modelo.

Ainda de acordo com a esse estudo, três quartos dos entrevistados disseram que a disponibilidade alta é o que mais incentiva na hora de contratar uma nuvem. O segundo fator é escalabilidade e o terceiro é a redução de custos.

Por mais que saibam que a nuvem pode trazer benefícios para as suas empresas, os gestores de TI disseram que existem algumas barreiras para que a nuvem seja adotadas por eles. Na lista de fatores que levam a não contratação do serviço, estão segurança, na opinião de 69% deles. Os executivos ainda apontaram problemas com infraestrutura de telecomunicações em segundo lugar e, em terceiro lugar, a dificuldade de integração.