Publicado em: quinta-feira, 06/10/2011

Número de mortos na Síria sobe para 2,9 mil em sete meses de protestos

O número de mortos nos sete meses de protestos contra o regime ditatorial de Bashar al Assad na Síria subiu para 2,9 mil, de acordo com o último levantamento realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta quinta-feira (06). Em setembro, a estimativa estava em 2,7 mil mortos, também levando em consideração o mês inicial dos protestos em março. Porém, um porta-voz da ONU, Rupert Colville, alerta para o fato que o número de desaparecidos é “muito maior” e isso pode aumentar o índice de mortos.

A atualização do número de mortos foi divulgada um dia antes de o Conselho de Direitos Humanos da ONU fazer a análise sobre a atual condição dos direitos fundamentais na Síria, procedimento que faz parte do Exame Periódico Universal (EPU). Tal verificação é obrigatória para todos os países que fazem parte das Nações Unidas. No momento, a comissão designada para examinar os direitos fundamentais na Síria aguarda autorização para entrar no país. O mandato foi concedido pelo Conselho de Direitos Humanos em 23 de agosto.

O porta-voz anunciou a informação declarando que “com base na lista detalhada de nomes individuais que temos mantido, o número total de pessoas mortas na Síria desde que os protestos começaram agora está em mais de 2.900”.

Durante esta semana, a Rússia e a China receberam críticas de representantes dos Estados Unidos, da França e da Alemanha por terem criticado o projeto que buscava estabelecer ‘medidas direcionadas’ à Síria. O termo usado foi em substituição à ‘sanções’, para tentar ganhar apoio dos aliados à Síria.