Publicado em: quinta-feira, 05/07/2012

Número de mortes causadas pela Rota cresce 45% em SP

O número de pessoas mortas por policiais militares da Rota, um grupo especial da PM de São Paulo, é 45% maior neste ano do que o que foi registrado entre janeiro e maio do ano passado. Os dados, divulgados pelo jornal Folha de São Paulo, estão presentes nos dados de letalidade policial da Corregedoria da Polícia Militar.

De acordo com esses dados, entre janeiro e maio de 2011 foram registradas 31 mortes causadas pelos policiais da rota. Nesse mesmo período deste ano, o número de pessoas mortas pela rota subiu para 45.

Quando é feita a comparação do número de mortes registrada nesse ano, com os cinco primeiros meses de 2010, o aumento é ainda maior: de 104,5%. Em 2010, de janeiro a maio, foram registradas 22 mortes.

De acordo com a cientista social Silvia Ramos, que é a coordenadora do Centro de Estudos de segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, do Rio de Janeiro, o cenário da segurança se mostra ainda mais grave não só quando o número de crimes aumenta, mas quando a própria polícia age de forma descontrolada e ilegal.

Por outro lado, o tenente-coronel Salvador Modesto Madia, que está a frente da rota desde novembro do ano passado, disse que os números de mortes não importam, mas sim sua legalidade. Maio foi o mês que os soldados da Rota mais mataram em São Paulo Na ocasião, 17 pessoas foram assassinadas.